Memorial Charles Miller

Trechos do Livro Charles William Miller 1894 * 1994, de John R Mills

John Miller, que tinha chegado à terra paulistana ainda solteiro, casou-se com Carlota Alexandrina Fox, ou “Tia Carlota”, como seria conhecida pela grande Família Fox. Eles tiveram um filho, batizado como Charles William Miller, considerado o “Pai do Futebol Brasileiro” ou “Introdutor do Esporte Bretão” no Brasil.

Charles Miller nasceu no dia 24 de novembro de 1874 na chácara de seus avós maternos, Henry Fox e Harriett Mathilda Rudge Fox, na Rua Monsenhor de Andrade nº 24, no bairro do Brás, que décadas depois seria reduto dos imigrantes italianos que chegavam a São Paulo.

Charles Miller, após concluir seus estudos preliminares seguiu para a Inglaterra, em junho de 1884 a fim de completar sua educação, como era costumeiro naqueles tempos para filhos britânicos. Ele tinha 9 anos quando foi enviado a Banister Court School, um ano antes da fundação do Southampton Football Club – então St. Mary’s Football Club.

Miller aprendeu a jogar futebol durante este período de estudos na Inglaterra. Apesar de bom aluno, preocupava-se mais com o seu desempenho esportivo, sempre testando diversas posições, até encontrar aquela em que faria sucesso, a de atacante. Também jogava críquete e rugby, ocasionalmente.

Para sorte do futebol brasileiro, Charles Miller retornou à sua terra natal em novembro de 1894. Assim como muitos outros ingleses, na mala carregavam os “tesouros” com os quais ajudariam a difundir o jogo que eles tanto apreciavam na Inglaterra. Ao desembarcar em solo brasileiro, Charles Miller possuía em sua mala itens que dariam origem ao futebol no Brasil: um livro de regras do “Association Football”, adquirido numa loja de material esportivo em Southampton; uma camisa da equipe da Bannister Court School e outra do St Mary’s; duas bolas de capotão; um par de chuteiras e uma bomba de ar para encher as bolas.

Entre 1902 e 1904, jogando pela equipe do São Paulo Athletic Club – SPAC, Charles Miller se tornou tricampeão paulista. Ele foi artilheiro do campeonato por duas vezes. Jogou no clube até 1910, quando encerrou sua carreira.

Charles Miller faleceu em São Paulo, aos setenta e nove anos de idade, no dia 30 de junho de 1953.

Trajetória SPAC

Charles Miller desembarcou no porto de Santos em novembro de 1894, aos 20 anos. E o ambiente perfeito para disseminar o futebol era o São Paulo Athletic Club, criado em 1888 principalmente para a prática de críquete. O jovem brasileiro passou a se reunir com os novos interessados pela modalidade ao final do verão, com a volta das atividades do clube após as férias. Para, enfim, ensinar as regras e realizar a partida histórica em 13 de abril de 1895.

A ideia fixa na cabeça dele era difundir o “football”, que ele tanto tinha apreciado na Inglaterra. A missão de Charles Miller de introduzir o futebol no Brasil começou em 1952.

Os sócios do São Paulo Athletic Club não levaram o seu apego ao crícket e à tradição ao ponto de desprezar de todo o futebol. Estavam ansiosos para aceitar as novidades. Aos poucos foram aumentando os treinos na Chácara da Família Dulley, onde existe hoje a Rua Três Rios no Bom Retiro, e lá tiveram lugar, cada vez mais animados, esses treinos e bate bolas.

Miller já tinha começado a trabalhar na São Paulo Railway, e ensinava por lá o “bê-à-bá” do futebol; chutar a bola, cobrar laterais, pênaltis, driblar, tiros indiretos, “corners”, passes, marcação, o “chegar junto”. Esses ensinamentos entusiasmaram os britânicos  da SP Railway, os da Companhia de Gás e do London Bank;

Charles Miller seguia com grande reputação graças ao talento que também exibia em campo. O SPAC e os outros clubes paulistanos, contudo, permaneceram limitados a amistosos até a virada do século. A iniciativa de se criar uma liga paulista e colocar uma taça em disputa só se concretizou em 1902. Como liderança do São Paulo Athletic Club, o atacante participou da fundação do torneio que reuniu outros cinco clubes paulistanos: o Germânia, o Internacional, o Mackenzie e o Paulistano.

Charles Miller seguiu como referência do São Paulo Athletic Club no bicampeonato em 1903. Anotou três gols na contestada campanha de sua equipe, especialmente pela atuação da arbitragem no novo jogo de desempate contra o Paulistano. Por fim, a posse definitiva da taça veio com o tri no Paulistão de 1904. Miller outra vez terminou a disputa como artilheiro, anotando nove gols. E, pelo terceiro ano consecutivo, o SPAC derrotou o Paulistano em uma partida-extra.

E foi o primeiro jogo em terra paulista e brasileira o alicerce ou “pedra fundamental” que transformou esse novo jogo de futebol no “Esporte das Multidões”, e que transformaria o Brasil no “País do Futebol”.